30 de jul de 2008

Livro: O Pequeno Príncipe e Música: Cativar

É bom reler bons livros e lembrar das lições que aprendemos com eles. Semana passada, por causa de um scrap da Renata no orkut, fui levada à uma viagem no tempo...rs.

" - Que quer dizer cativar?
- É algo quase sempre esquecido, significa criar laços... criar laços???
- É, se tu me cativas
teremos necessidade um do outro, serás para mim único no mundo. Se tu me cativas minha vida será como cheia de sol...os teus passos me chamarão para fora da toca, como se fosse música... A GENTE SÓ CONHECE BEM AS COISAS QUE CATIVOU...
- Que é preciso fazer???
- É preciso ser paciente. Cada dia te sentarás um pouco mais perto...E assim, se tu vens as 4 da tarde, desde as 3 começarei a ser feliz,
as 4, então, estarei inquieta e agitada, descobrirei o preço da felicidade...Eis o meu segredo, só se vê bem com o coração: o essencial é invisível aos olhos... Foi o tempo que perdeste com "as tuas rosas" que as fizeram tão importantes...os homens esqueceram essa verdade, mas tu não a deves esquecer, tu te tornas ETERNAMENTE responsável por aquilo que cativas..."

Viajei ao ler esse scrap...lembrei primeiramente da música chamada Cativar, do disco dos Louvores da Garotada da Turma do Printy que eu costumava ouvir quando era criança, aqui vai o vídeo:



E a letra:

Uma palavra tão linda
Já quase esquecida me fez recordar
Contendo sete letrinhas
E todas juntinhas se lê cativar

Cativar é amar
É também carregar
Um pouquinho da dor
Que alguém tem de levar

Cativou disse alguém
Laços fortes criou
Responsável tu és
Pelo que cativou

No deserto tão só
E entre homens de bem
Vou tentar cativar
Viver perto de alguém

E em segundo lugar, me dei conta de que o trecho que a Renata escreveu pertencia ao livro O Pequeno Príncipe, parte do diálogo entre o Príncipe e a raposa e resolvi lê-lo novamente.

E aqui vai o vídeo:



Achei o livro inteirinho de graça na internet. É curtinho, mas cheio de lições preciosas que precisam ser entendidas nas entrelinhas do texto que parece ser pra crianças...mas não é. rs

Cada personagem tem algo à nos ensinar, então vou compartilhar as lições do livro O Pequeno Príncipe aqui:

O Pequeno Príncipe

“Quando a gente acaba a toalete da manhã, começa a fazer com cuidado a toalete do planeta.”

Perplexo com as contradições dos adultos, o pequeno príncipe simboliza a esperança, o amor e a força inocente da infância que habita o nosso inconsciente.

Extraordinário e misterioso, ele vive em um planeta muito pequeno. Lá, um dia, apareceu uma flor...

O Piloto

“As pessoas grandes aconselharam-me deixar de lado os desenhos de jibóias abertas ou fechadas.”

Foi desencorajado, aos seis anos, pelos adultos que não reconheceram a sua sensibilidade artística e a sua capacidade de ver além das aparências. Mas anos depois, longe de todos, desenha a sua própria história.

O piloto é a prova de que nunca é tarde para irmos atrás dos nossos sonhos.


A Rosa

“É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas”....

Ela começou a crescer, parecia vir do nada. Ficou horas se arrumando e ajeitando suas pétalas... E é linda! Mas também orgulhosa, caprichosa e contraditória.

O pequeno príncipe apaixona-se e vive para atender aos seus caprichos: um lanchinho, o para-vento, uma redoma. Mas ela nunca está satisfeita e o nosso herói decide partir.

Embora pareça contraditória, entre caprichos e sabedoria, a rosa é extremamente feminina e sedutora. Por isso, cativa o coração do principezinho.


O Rei
"É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar"

É o primeiro dos “donos do mundo” que o pequeno príncipe encontra nas galáxias. O rei pensa que tudo e todos são seus súditos e tem necessidade de controlá-los. Mas, com sabedoria, nos ensina que cada um só pode dar aquilo que tem.


O Vaidoso

"Mas o vaidoso não ouviu. Os vaidosos só ouvem elogios."

O vaidoso precisa da admiração de todos para comprovar o seu valor.


Ele nos faz lembrar que precisamos reconhecer nossos próprios talentos e capacidades, e não depender de elogios dos outros para nos auto-afirmar.


O Bêbado

“– Por que é que bebes?
– Para esquecer.
– Esquecer o quê?
– Esquecer que eu tenho vergonha.
– Vergonha de quê?
– Vergonha de beber!”

O bêbado tenta escapar da realidade por meio do álcool, mas não consegue escapar da vergonha de ser como é. O seu desabafo é um alerta contra todos os vícios.


O Homem de negócios

"– E de que te serve possuir as estrelas?
– Serve-me para ser rico.
–E para que te serve ser rico?
– Para comprar outras estrelas, se alguém achar.
Esse aí, disse o principezinho para si mesmo, raciocina um pouco como o bêbado."

O homem de negócios está tão ocupado contando o que acumulou que não pode desfrutar da vida. O pequeno príncipe nos faz ver que isso também é um vício.

É preciso valorizar quem você é, e não o que você tem.

O Acendedor de lampiões

"Aí é que está o drama! O planeta de ano em ano gira mais depressa, e o regulamento não muda!"

Um bom homem cumpre o seu dever. Mas como ele mesmo diz, " É possível ser fiel e preguiçoso..."

O universo está em constante evolução. O homem, as crenças e as relações humanas também. Mas o acendedor de lampiões não tem o bom senso de questionar as ordens e trabalha sem parar, mesmo sabendo que não vai chegar a lugar algum.


O Geógrafo

"É muito raro um oceano secar, é raro uma montanha se mover...."

O geógrafo sabe toda a teoria, mas não aplica seus conhecimentos. Nunca sai da sua mesa para explorar as descobertas. Como um bom burocrata, declara que isso é trabalho de outra pessoa.

É ele quem recomenda ao pequeno príncipe que visite o planeta Terra. E deixa o principezinho abalado quando lhe conta que sua flor é efêmera...


A Jibóia

"‘Por que é que um chapéu faria medo? ’
[...] Desenhei então o interior da jibóia, para que as pessoas grandes pudessem compreender. Elas têm sempre necessidade de explicações."

A jibóia desenhada pelo piloto quando criança é o ícone que nos ensina a ver além das aparências.



O Astrônomo Turco

"Mas ninguém lhe dera crédito por causa das roupas que usava. As pessoas grandes são assim."

Os adultos, especialmente os sofisticados materialistas, julgam pelas aparências. Por isso, o astrônomo turco é desprezado pela comunidade científica até aparecer em elegantes roupas ocidentais..



A Raposa

“Tu te tornas eternamente responsávelpor aquilo que cativas.

A sábia raposa ensina o pequeno príncipe a compartilhar. E explica-lhe que, apesar de existirem milhares de flores parecidas, a dele é única, e foi o tempo que ele dedicou a ela que a fez tão importante.

Cativar quer dizer conquistar e requer responsabilidade. Responsabilidade por um amor, por um amigo, pelo talento que possuímos e pelo que conquistamos em nossa carreira profissional e pessoal.

Seja responsável pelas suas conquistas. Valorize-se. Cuide do que você cativou.


A Serpente

"Mas sou mais poderosa do que o dedo de um rei.”

Embora fale sempre por enigmas, é o personagem mais franco de toda a história.
Ela respeita o que é puro e verdadeiro.



O Carneiro e a Caixa

"Desenha um carneiro para mim, por favor.”
“Era assim mesmo que eu queria!”.

Nada pode corresponder ao poder da nossa imaginação. Ela supera o conhecimento, pois não tem limites, e nos impulsiona para novas descobertas.

”Quando o mistério é muito impressionante, a gente não ousa desobedecer.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário