30 de abr de 2008

Livro: Os Descobridores de Deus

Planejei ler um livro por mês nesse ano de 2008, mas infelizmente não tenho conseguido essa façanha. Não terminei de ler o livro The mind of Christ, vou tentar terminar em Maio.

Para o mês de Março e Abril, li o livro The God catchers ou Os Descobridores de Deus, que na verdade não fazia parte da minha lista de livros pra esse ano, mas era uma das leituras recomendadas pelo Seminário, da qual tive que fazer um resumo e entregá-lo. Esse livro é impactante, mas demorei demais pra lê-lo e entreguei o resumo super-mega-hiper atrasado. Por isso ca-pri-chei no trabalho pra que os deméritos não me prejudicassem tanto.

Aqui vai meu resumo:

29 de abr de 2008

Meeting God Alone - by Elisabeth Elliot

I read this devotional by the end of February this year, and I found it to be so helpful as Elisabeth gives practical advices on how to spend quality time with God. But, after reading it I failed to save it, and kept on looking for it online but couldn't find it anywhere. It made me so HAPPY that they published it again today at Elisabeth Elliot's Daily Devotional. This time I'm keeping it here, so I can re-read it whenever I want to remember these advices.

_______________________________________________________

Author: Elisabeth Elliot

A very tall man, wrapped in a steamer rug, kneeling alone by a chair. When I think of my father, who died in 1963, this is often the first image that comes to mind. It was the habit of his life to rise early in the morning--usually between 4:30 and 5:00--to study his Bible and to pray.

We did not often see him during that solitary hour (he purposed to make it solitary), but we were used to seeing him on his knees. He had family prayers every morning after breakfast. We began with a hymn; then he read from the Bible to us; and we all knelt to pray. As we grew older, we were encouraged to pray alone as well.

Few people know what to do with solitude when it is forced upon them; even fewer arrange for solitude regularly. This is not to suggest that we should neglect meeting with other believers for prayer (Hebrews 10:25), but the foundation of our devotional life is our own private relationship with God.

My father, an honest and humble disciple of the Lord Jesus, wanted to follow his example: "Very early in the morning Jesus got up, left the house and went off to a solitary place, where he prayed" (Mark 1:35).

Christians may (and ought to) pray anytime and anywhere, but we cannot well do without a special time and place to be alone with God. Most of us find that early morning is not an easy time to pray. I wonder if there is an easy time.

The simple fact is that early morning is probably the only time when we can be fairly sure of not being interrupted. Where can we go? Into "your closet," was what the Lord said in Matthew 6:6, meaning any place apart from the eyes and the ears of others. Jesus went to the hills, to the wilderness, to a garden; the apostles to the seashore or to an upper room; Peter to a housetop.

We may need to find a literal closet or a bathroom or a parked car. We may walk outdoors and pray. But we must arrange to pray, to be alone with God sometime every day, to talk to him and to listen to what he wants to say to us.

The Bible is God's message to everybody. We deceive ourselves if we claim to want to hear his voice but neglect the primary channel through which it comes. We must read his Word. We must obey it. We must live it, which means rereading it throughout our lives. I think my father read it more than forty times.

When we have heard God speak, what then shall we say to God? In an emergency or when we suddenly need help, the words come easily: "Oh, God!" or "Lord, help me!" During our quiet time, however, it is a good thing to remember that we are here not to pester God but to adore him.

All creation praises him all the time--the winds, the tides, the oceans, the rivers, move in obedience; the song sparrow and the wonderful burrowing wombat, the molecules in their cells, the stars in their courses, the singing whales and the burning seraphim do without protest or slovenliness exactly what their Maker intended, and thus praise him.

We read that our Heavenly Father actually looks for people who will worship him in spirit and in reality. Imagine! God is looking for worshippers. Will he always have to go to a church to find them, or might there be one here and there in an ordinary house, kneeling alone by a chair, simply adoring him?

How do we adore him? Adoration is not merely unselfish. It doesn't even take into consideration that the self exists. It is utterly consumed with the object adored.

Once in a while, a human face registers adoration. The groom in a wedding may seem to worship the approaching bride, but usually he has a few thoughts for himself--how does he look in this absurd ruffled shirt that she asked him to wear, what should he do with his hands at this moment, what if he messes up the vows?

I have seen adoration more than once on faces in a crowd surrounding a celebrity, but only when they were unaware of the television cameras, and only when there was not the remotest possibility that the celebrity would notice them. For a few seconds, they forgot themselves altogether.

When I stumble out of bed in the morning, put on a robe, and go into my study, words do not spring spontaneously to my lips--other than words like, "Lord, here I am again to talk to you. It's cold. I'm not feeling terribly spiritual...." Who can go on and on like that morning after morning, and who can bear to listen to it day after day?

I need help in order to worship God. Nothing helps me more than the Psalms. Here we find human cries--of praise, adoration, anguish, complaint, petition. There is an immediacy, an authenticity, about those cries. They speak for me to God--that is, they say what I often want to say, but for which I cannot find words.

Surely the Holy Spirit preserved those Psalms in order that we might have paradigms of prayer and of our individual dealings with God. It is immensely comforting to find that even David, the great king, wailed about his loneliness, his enemies, his pains, his sorrows, and his fears. But then he turned from them to God in paeans of praise.

He found expression for praise far beyond my poor powers, so I use his and am lifted out of myself, up into heights of adoration, even though I'm still the same ordinary woman alone in the same little room.

Another source of assistance for me has been the great hymns of the Church, such as "Praise, My Soul, the King of Heaven," "New Every Morning Is the Love," "Great Is Thy Faithfulness," "Glorious Things of Thee Are Spoken," and ''O Worship the King." The third stanza of that last one delights me. It must delight God when I sing it to him:

Thy bountiful care, what tongue can recite?
It breathes in the air, it shines in the light;
It streams from the hills, it descends to the plain,
And sweetly distills in the dew and the rain.

That's praise. By putting into words things on earth for which we thank him, we are training ourselves to be ever more aware of such things as we live our lives. It is easy otherwise to be oblivious of the thousand evidences of his care. Have you thought of thanking God for light and air, because in them his care breathes and shines?

Hymns often combine praise and petition, which are appropriate for that time alone with God. The beautiful morning hymn "Awake, My Soul, and With the Sun" has these stanzas:

All praise to Thee, who safe hast kept,
And hast refreshed me while I slept.
Grant, Lord, when I from death shall wake,
I may of endless light partake.
Direct, control, suggest, this day,
All I design, or do, or say;
That all my powers, with all their might,
In Thy sole glory may unite.

Adoration should be followed by confession. Sometimes it happens that I can think of nothing that needs confessing. This is usually a sign that I'm not paying attention. I need to read the Bible. If I read it with prayer that the Holy Spirit will open my eyes to this need, I soon remember things done that ought not to have been done and things undone that ought to have been done.

Sometimes I follow confession of sin with confession of faith--that is, with a declaration of what I believe. Any one of the creeds helps here, or these simple words: "Christ has died; Christ is risen; Christ will come again. Lord, I believe; help my unbelief."

Then comes intercession, the hardest work in the world--the giving of one's self, time, strength, energy, and attention to the needs of others in a way that no one but God sees, no one but God will do anything about, and no one but God will ever reward you for.

Do you know what to pray for people whom you haven't heard from in a long time? I don't. So I often use the prayers of the New Testament, so all-encompassing, so directed toward things of true and eternal importance, such as Paul's for the Christians in Ephesus: ''I pray that you, rooted and founded in love yourselves, may be able to grasp how wide and long and deep and high is the love of Christ" (Ephesians 3:17, 18). Or I use his prayer for the Colossians, "We pray that you will be strengthened from God's boundless resources, so that you will find yourselves able to pass through any experience and endure it with joy" (Colossians 1:11). I have included many New Testament prayers in a small booklet entitled "And When You Pray (Good News Publishers).

My own devotional life is very far from being Exhibit A of what it should be. I have tried, throughout most of my life, to maintain a quiet time with God, with many lapses and failures. Occasionally, but only occasionally, it is impossible. Our Heavenly Father knows all about those occasions. He understands perfectly why mothers with small children bring them along when they talk to him.

Nearly always it is possible for most of us, with effort and planning and the will to do his will, to set aside time for God alone. I am sure I have lost out spiritually when I have missed that time. And I can say with the psalmist, "I have found more joy along the path of thy instruction than in any kind of wealth" (Psalms 119:14).

16 de abr de 2008

Pensando bem - J. Neto

Me lembrei desse louvor enquanto fazia minha lição de casa do Seminário, é um louvor típico da Assembléia de Deus, minha igreja no Brasil. Sendo membra da Batista agora, já fazem mais de três anos que não canto esse louvor. Hehe...Pra mim é um louvor de sede de Deus e reconhecimento da necessidade que temos da presença Dele diante das nossas muitas falhas. Medite na letra.



Pensando bem
Só a presença de Jesus na minha vida
Justifica tanta coisa sem saida
É a realidade
Que eu não posso me afastar
Sua presença me encoraja
Me anima todo dia
Sem Jesus Cristo, eu não sei o que seria
Um vivo-morto sem poder me levantar

Não...não me deixes
Não me deixes sozinho
Nem por um minuto(bis)
Não me deixes, a minh'alma chora
Grita, implora, não me deixes Senhor

Só Tu me entendes, não me censuras
Embora eu sei que Te aborreço
Mas eu Te peço por favor
Meu Deus, esqueça
As muitas falhas que cometo contra Ti
Se for preciso me exortar, fala comigo
Estou ouvindo, fala comigo
Acordado ou dormindo
Ou aqui mesmo se quiseres, quero ouvir.

Estou contigo ora não temas
Te encorajas, vai em frente
É a presença que eu anelo tão somente
Não há barreiras
Que não possas ultrapassar
Mas se estou fraco, oh!, me escondas
Em Tuas asas bem seguras, me agasalha
No Teu manto de ternura
Ó me transportas, como o vento sobre o mar

14 de abr de 2008

The feelings of the woman at the well



I am a woman of no distinction
Of little importance
I am a woman of no reputation
Saved that which is bad
You whisper as I pass by
And cast judgmental glances
Though you don't really take the time to look at me
Or even get to know me
For to be known is to be loved
And to be loved is to be known
And otherwise what's the point
Of doing even either of them in the first place?
I want to be known
I want someone to look at my face
And not just see two eyes
A nose, a mouth and two ears
But to see all that I am & could be
All my hopes, loves, and fears
That's too much to hope for
Or to wish for, or to pray for
So I don't, not anymore
Now I keep to myself
By that I mean the pain
That keeps me in my own private jail
The pain that has brought me here
At midday to this well
To ask for a drink is no big request
But to ask it of me?
A woman unclean, ashamed, used and abused
An outcast of failure, disappointment, a sinner
No drink passing from these hands to your lips
Could ever be refreshing, only condemning
As I am sure you condemn me now
But you don't
You are a man of no distinction to know
Though of the utmost importance
A man with little reputation, at least so far
You whisper and tell me to my face
What all those glances have been about
And you take the time to really look at me
But don't need to get to know me
For to be known is to be loved
And to be loved is to be known
And You know me
You actually know me
All of me And everything about me
Every thought and sight
And hair on top of my head
Every hurt stored up, every hope, every dread
My past, my future, all I am and could be
You tell me everything
You tell me, about me
If that was spoken by another
Would bring hate and condemnation
Coming from you
Brings love, grace, mercy, hope & salvation
I have heard of one to come
Who would save a wrench like me
And here in my presence
You say I am He
For to be known is to loved
And to be loved is to be known
And I just met you
But I love you
I don't know you
But I want to get to you
Let me run back to tell them
This is way too much for just me
There are others
Brothers, sisters, lovers, haters
The good, and the bad, sinners and saints
Who should hear what you told me
Who should see what you showed me
Who should taste what you gave me
Who should feel how you forgave me
For to be known is to be loved
And to be loved is to be known
And they all need this too
We all do need it for our own

by www.realstudentlife.com

9 de abr de 2008

Walk through the Old Testament

Last Saturday I went to the Walk throug the Bible Seminar - Old Testament at Dix Hills Evangelical Free Church from 9am-4pm. It was a BLESS! We learned 77 signs that walks us through the whole story of the Old Testament. Take a peak of the signs by watching the video below:



So here goes the list of words for each sign:
  1. Creation
  2. Fall
  3. Flood
  4. Nations
  5. 4000 years (ago)
  6. Ur
  7. Persian Gulf
  8. S.A.L.T. = Sarah, Abraham, Lot, Terah
  9. Euphrates, Tigris
  10. Haran
  11. Terah dies
  12. Sea of Galilee
  13. Jordan River
  14. Dead Sea
  15. Mediterranean
  16. Israel
  17. Ishmael
  18. Isac
  19. Esau
  20. Jacob
  21. Joseph - Egypt
  22. Jews - Egypt
  23. Bondage - 400 years
  24. Moses
  25. "Let my people go." "No!"
  26. Ten plagues
  27. Passover
  28. Red sea
  29. Mount Sinai
  30. Law
  31. Tabernacle
  32. Levites and priests
  33. Offerings and feasts
  34. Counting the faces
  35. Kadesh-oasis
  36. Twelve spies
  37. Wanders dies
  38. Moab
  39. Moses - second law - dies
  40. Joshua
  41. Jordan
  42. Jericho
  43. Divide - conquer
  44. North- South
  45. Divide - Settle
  46. Twelve tribes
  47. Judges - 400 years
  48. Deborah
  49. Gideon
  50. Samson
  51. "Everyone did what was right in his own eyes except Ruth and Samuel"
  52. United Kingdom - 120 years
  53. Saul - no heart
  54. David - whole heart
  55. Salomon - half heart
  56. Divided kingdom - 400 years
  57. North - South
  58. Israel - Judah
  59. 19 - 20 (kings)
  60. 0 - 8 (kings that followed God)
  61. Prophets speak: "Shape up or ship out"
  62. Assyria - Israel
  63. Scattered
  64. Babylonia - Judah
  65. Exile - 70 years
  66. Persia - Judah
  67. Return
  68. Zorobabel
  69. Temple
  70. Esther
  71. Queen
  72. Ezra
  73. People
  74. Nehemiah
  75. Walls
  76. 400 years - Silence
  77. Christ
Some other things I learned:

  • The rock Moses hit symbolized Jesus, who died for us once. Therefore when Moses hit the rock a second time, instead of only talking to it for water to come out, he was actually hurting Jesus a second time, which did not happen, because Jesus died only once and was resurrected. As Moses disobeyed God and messed up His typology, he was prohibited of entering Canaan.
  • Did Moses ever enter the land of Canaan? Yes, at the Mount of transfiguration.

4 de abr de 2008

Email da minha irmã de três anos atrás - SAUDADEE!

Só para dizer um "Oi"
From: Debora Moraes Dantas
Sent:Tue 1/04/05 9:43 PM
To: Giselle Dantas

oi meu amor!!!!!!!!!!!!!!
Tô morrendo de saudades Gi!! É muito estranho passar final de ano sem você..
Como você está? Está feliz? Imagino que esteja muito ocupada...
Bom hoje foi minha folga... e tenho aprendido muito com esse emprego, tenho aprendido a encarar a real life... e vi que não é fácil... eu li uns textos que me fizeram pensar em você... na sua força de vontade e perseverança, na experiência íncrivel que vc está vivendo... vc tem noção o quanto eu te admiro? E vc tem noção do quanto eu SOU orgulhosa de você? VOCÊ É DEMAIS GI!!! EU TE AMO MUITO!!
Dá uma lida nesse texto (leia devagar):

ADVERSIDADES


Ela era uma garota que vivia a se queixar da vida. Tudo lhe parecia difícil e se dizia cansada de lutar e combater. Seu pai, que era um excelente cozinheiro, a convidou, certo dia, para uma experiência na cozinha. Tomou três panelas, encheu-as com água e colocou cenouras em uma, ovos em outra e pó de café na terceira. Deixou que tudo fervesse, sem nada dizer. A moça suspirou longamente, imaginando o que é que seu pai estava fazendo com toda aquela encenação. Depois de tudo fervido, o pai colocou as cenouras e os ovos em uma tigela e o café em outra.
- O que você está vendo? - perguntou.
- Cenouras, ovos e café - respondeu ela.
Ele a trouxe mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Ela notou como as cenouras estavam macias. Tomando um dos ovos, quebrou a casca e percebeu que estava duro. Provando um gole de café, a garota sentiu o sabor delicioso. Voltou-se para o pai, sorriu e indagou:
- O que significa tudo isto, papai?
- É simples, minha filha. As cenouras, os ovos e o café ao enfrentarem a mesma adversidade, a água fervendo, reagiram de formas diferentes. A cenoura entrou na água firme e inflexível. Ao ser submetida à fervura, amoleceu e se tornou frágil. O ovo era frágil. A casca fina protegia o líquido interior. Com a água fervendo, se tornou duro. O pó de café, por sua vez, é incomparável. Colocado na água fervente, ele mudou a água.
Voltando-se então para a filha, perguntou-lhe:
- Como é você, minha filha? Quando a adversidade bate à sua porta, você reage como a cenoura, o ovo ou o café? Você é uma pessoa forte e decidida que, com a dor e as dificuldades, se torna frágil, vulnerável e sem forças? Ou você é como o ovo: delicada, maleável, casca fina, que se rompe com facilidade? Ao receber as notícias do desemprego, de uma falência, da morte de um ser querido, do divórcio, você se torna dura, inflexível? Quanto mais sofre, mais obstinada fica, mais amarga se torna, encerrada em si mesma? Ou você é como o café, que muda a água fervente, motivo da dor, para conseguir o máximo de seu sabor, a cem graus centígrados? Quanto mais quente a água, mais gostoso se torna o café, deliciando as pessoas com o seu aroma e sabor. Se você é como o pó de café, então, quando as coisas vão ficando piores, você se torna melhor e faz com que as coisas em torno de você também se tornem melhores.
E completou:
- A dor, em você, tem a possibilidade de torná-la mais doce, gentil, com mais capacidade de entender a dor alheia. Afinal de contas, minha filha, como é que você enfrenta a adversidade?

Viu? É assim que eu quero que você encare seus problemas, como algo que vai te acrescentar e te formar para ser algo melhor, não para te tornar uma pessoa amargurada com a vida, como mts vezes eu tenho me deixado ser. Eu acho que é isso que você está vivendo, né Gi? Às vezes os problemas trazem uma confusão na nossa mente...e eu sei que você está crescendo muito, ficando madura e se tornando uma mulher maravilhosa... eu nunca pensei que diria isso um dia mas eu quero que você seja como o pó de café, tá?
E tente Gi, arrisque, erre, erre o quanto necessário... dá uma lida nessa frase:

"É preferível o erro à omissão. O fracasso, ao tédio. O escândalo, ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido. Tendo consciência de que, cada homem foi feito para fazer história. Que todo o homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado, para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra."

É isso que você está fazendo, Gi, escrevendo a sua vida, ainda bem que você não dá ao seu futuro biógrafo muito trabalho, pois você mesma narra os acontecimentos, mas as coisas acontecem, Gi! Não importa se boas ou ruins, o importante é não ficar acomodado, é se dar ao luxo de VIVER!! E eu te vejo desse jeitinho... construindo versos, caminhando com uma caixa cheia de possibilidades... nunca se sabe o que vem depois, né?´Parabéns por ter criado o seus caminhos, o que você está vivendo é a realização de um sonho, você tem noção do quanto isso é grande? VOCÊ CONSEGUIU! Está aí, abrindo um leque de novas oportunidades, parabéns GI!!!

e por último eu queria deixar uma mensagem, que é especialmente para você, tem partes do poema que eu não entendi, espero que tenha a ver com o que você está vivendo, senão tiver, escreva o seu próprio com o mesmo estilo e coloque no blogg...

E ela vai se acostumando...

*Vai se acostumando a tomar cereal no cafe da manha ao inves de paozinho frances com manteiga...
*A assistir american football aos domingos e torcer pelo Ravens ao inves do futebol brasileiro e torcer pelo Sao Paulo;
*Vai se acotumando aos domingos a noite sem a companhia das amigas do botequinho da esquina, e sem depois ir pra casa pra assistir o final do Fantastico com os pais...;
*Vai se acostumando com as leis...nunca passar o farol vermelho, nunca esquecer de colocar enough quarters no estacionamento...nunca exceder o limite de velocidade;
*Vai entendendo o que eh ter as quatro estacoes do ano...com muito calor no verao, folhas amarelas e vermelhas caindo das arvores no outono, neve no inverno e flores na primavera;
*Ela jah se acostumou a tomar Miller e Bud light, Corona ou Samuel Adams ao inves de Brahma e Skol;
*Jah se acostumou a ser perguntada se o Brasil fica na America do Sul, se as nossas praias sao mesmo lindas, se o Brasil todo eh tao violento como no filme Cidade de Deus, se os indios tambem vivem nas cidades, porque o nosso futebol eh o melhor do mundo, porque as brasileiras sao tao faceis, porque sao tao bonitas tambem, porque falamos portugues e nao espanhol, porque eh tao dificil pra nos entrarmos nos EUA, se temos microodas, lava-loucas, e coisas do tipo, se temos inverno, se eh sempre verao lah, o que vemos na televisao, se temos filmes americanos rodando por lah, e assim vai...
*Vai se acostumando com a saudade da familia;
*Com a vontade de voltar;
*Com a vontade de ficar;
*Vai se acostumando com a realidade de que com pouco dinheiro dah pra se fazer muito;
*Vai aprendendo que ter medo eh bobagem, que as pessoas aqui sao de carne e osso, cheias de receios, emocoes, vulnerabilidades, e muito orgulho, como em qualquer lugar do mundo;
*Vai entendendo que o Brasil eh abencoado, e que nao tem furacoes!;
*Vai se acostumando a nao ter arroz e feijao fresquinhos na mesa;
*A ser perguntada o que faz por aqui;
*A nao ter novela das oito;
*A nao ter meio mundo comentando dela;
*A ter 98 canais disponiveis na televisao do quarto, e nao saber qual assistir... e ainda assim ganhar um dvd player, mais uma opcao pra confusao;
*Vai se acostumando a fazer novas amizades, e garotas de tudo quanto eh lugar do Brasil, e entender que vai ser dificil um dia viver sem elas, e ainda mais dificil visita-las em todos esses cantinhos do pais;
*Vai se acostumando com hip-hop nas baladas e pessoas que nao podem ver o seio da Janet Jackson na tv, fazendo cenas de sexo nas danceterias (que ironia eh essa?!);
*A inventar palavras portugues-ingles... jah que nao lembra nenhuma das duas....*horneada* (essa foi hilaria)...bom, *hoje estou freaking out*
* A ficar presa no transito da Beltway-495, ao inves da Av do Estado, ou da Marginal Tiete;
*Vai entendendo que nem os americanos entendem boa parte das musicas daqui...; (quando nao entender, pode perguntar!);
*A ve-los cortando grama todo santo fim-de-semana;
*Vai se acostumando e continua tentando entender se ha mais americanos a favor ou contra o Bush...mas aih eh outra historia...
*Enfim, ela vai se acostumando....a estar mais do que acostumada com o dia-a-dia.

Gi, que este ano de 2005, seja o ano mais feliz da sua vida!!! Que você consiga a proeza de se satisfazer com o que tem e aproveitar cada minuto das pessoas que estão ao seu redor, e consiga ser feliz só por causa das coisas simples e gostosas, e só porque é bom ser feliz... que você ria muito!! Aprenda muito!!Abraçe muito... diga mais palavras como: eu acredito, eu encontrei, eu consegui. Cada dia é um novo dia, Deus se renova a cada manhã, e cada dia é uma nova oportunidade de se ser feliz. Eu acredito em você e sei que não importa qual caminho voc~e vai decidir trilhar esse ano, você vai se dar bem, só não perca o hoje preocupada com o amanhã. Lembre-se "Hoje não é ontem nem amanhã" é só uma frase idiota, mas que pode ensinar muito...

EU TE AMO MUITO

JESUS TE AMA MAIS DO QUE VOCÊ PODE IMAGINAR, VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA... ELE TE CONHECE E SABE O QUE É MELHOR PARA VOCÊ, CONFIE NELE...

BEIJOS

SUA IRMÃZINHA....