12 de fev de 2008

Testemunho de uma missionária da APEC

Gostei muito desse testemunho e quis compartilhar com vocês. Queridos, milhões de crianças estão sendo arrastadas à perdição todos os dias e o que estamos fazendo? Vamos investir em almas.

..........................................................................................

Meu marido era pastor em uma Igreja de uma cidade pequena em Goiás. Eu pensava seriamente em fazê-lo desistir do pastorado para que pudesse alcançar os alvos e sonhos que tive desde criança: ser rica.
Eu queria muito ter dinheiro para me vestir bem quando estivesse grávida, comprar para meus filhos o que eu não pude ter quando criança, morar numa casa maravilhosa, passear com a família e tomar uma boa refeição em restaurantes legais. E por aí vai...
No final do terceiro ano do pastorado fomos fazer o Instituto de Liderança da APEC* e depois entramos no estágio para, quem sabe, sermos missionários na APEC.
Me lembro bem que estava se aproximando o aniversário de meu marido. Eu sempre valorizei muito o aniversário de alguém e queria comemorar, no mínimo fazendo um bolo para lancharmos juntos. Mas eu não tinha nem mesmo os ingredientes para fazer um simples bolo. Eu fiquei muito brava com Deus: “ Senhor, por que fez isso comigo? Eu não quero ser missionária. Eu nem ao menos tenho dinheiro para comemorar um aniversário! Isso não parece justo!”
Bem, Deus ficou calado. Eu pensei que sim. A noite, enquanto eu dormia tive um sonho:
Eu estava na cozinha, na pia, preparando o bolo do aniversário do meu marido. Ao lado estava uma mesa com quatro lugares onde estavam meu marido e três de seus familiares, prontos para comemorarmos aquele dia. Neste momento alguém apertou a campainha. Pedi que fossem atender a porta, afinal eu estava muito ocupada fazendo o bolo!
Ninguém foi. Fiquei brava, joguei o pano de prato com raiva na pia dizendo: “Tudo eu”.
Ao abrir a porta vi, a minha frente, um grande poço, uma cisterna. Havia uma tampa de concreto bem redonda, grande e pesada que tampava quase todo poço. Mas havia uma fresta por onde saia uma mãozinha de criança. Saí correndo para afastar a pedra e ouvi a voz de minha filhinha que estava com quatro anos pedindo socorro.
Aí sim, desesperei para tirar a pedra e salvá-la. Estava tão pesada que chamei meu marido: “Sérgio, venha me ajudar. A Marianna está presa.”
Ele veio e juntos empurramos a pedra. Pudemos tirar nossa filha mas, quando olhamos o poço estava cheio de mãozinhas levantadas clamando por socorro. Seus olhos estavam vendados. Percebi que subia água no poço e em breve morreriam afogadas.
Lembro de dizer no sonho para meu marido: “Chame mais pessoas para nos ajudar, porque sozinhos não vamos conseguir salvá-las”.
O sonho acabou.
Acordei chorando. Ajoelhei ao lado da cama dizendo: “Senhor. Eu lamento tanto. Eu estou preocupada com bolos, coisas... e tantas crianças morrendo sem Jesus. Eu entrego a Ti minha vida, meus sonhos, meu tempo, minha saúde. Usa-me. Quero investir minha vida em salvar vidas. Amém.”
Hoje convido você a nos ajudar neste investimento. Seja nosso sócio. Seja sócio de algum dos vários (ainda tão poucos!), missionários que estão indo tirar as vidas do poço, não de água, mas de fogo e enxofre!
Além de tudo isso todos podemos evangelizar. Levar a boa notícia da salvação, do lar que nos aguarda, do Pai que nos ama, do Filho que pagou o castigo do nosso pecado, do Espírito que nos socorre. Onde quer que viva, onde quer que vá podemos, todos nós, ser missionários.
Podemos cumprir a tarefa que Jesus nos deixou: “Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.” Marcos 16:15 NVI
Este sim, é o investimento certo!
Viviene Morais de Souza – missionária na APEC desde 1992.
* Amy Carmichael –Nasceu na Irlanda -1867. Foi missionária na índia onde morreu – 1951.
* APEC – Aliança Pró Evangelização das Crianças

Nenhum comentário:

Postar um comentário